O que podemos sentir

Às vezes, quando os acontecimentos vem em efeito dominó numa quantidade considerável, acaba tumultuando o nosso pensar, fazendo com que ele (o pensamento) também fique confuso e misturado.

São compromissos profissionais, questões pessoais, imprevistos que mexem em nossa caixa preta (guardada a sete chaves) e nos fazem repensar na vida como um todo.

Acontece que nestas situações a tendência de virem sentimentos não agradáveis à tona é grande. E como aprendemos alguma vez na vida, não podemos ficar bravos, tristes, angustiados, irritados, etc…e eu gostaria de saber quem foi que decretou isto. Porque o fato de nós experimentarmos sentimentos ruins é extremamente edificante.

Camuflar o que sentimos para o outro é ruim, porém, para nós mesmos é muito pior. Por que eu vou esconder que estou me sentindo frustrada, angustiada, revoltada, irritada ou qualquer outra sensação semelhante para fingir que está tudo bem?

A dor é feita para ser sentida.

E existe um lado positivo nisto, é quando caímos que aprendemos a levantar. E só aprendemos assim. Não há outra forma de saber como se reerguer sem ter chegado ao chão.

É por isto que quando não estou bem sinto tudo o que tenho para sentir e não me culpo por isto. Não adianta esconder debaixo do tapete os sentimentos que nos fazem refletir e questionar o sentido da nossa vida. É necessário sentir.

Podemos sentir tudo o que está dentro de nós, só não podemos fazer nada com isto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website