Zona de Conforto

De um jeito ou de outro

Imaginem um videogame. Só passamos de fase depois que conseguimos desvendar os mistérios dela. Às vezes, ficamos muito tempo num mesmo nível do jogo, até acertar. Após aprendermos, não há mais interesse ou surpresa com aquele nível e começamos a explorar as novas etapas. Eu comparo esta experiência lúdica com as nossas fases de vida. […]

As instabilidades

Quanto menos fixarmos a nossa mente no “para sempre” melhor vivemos, pois a verdade é que tudo pode mudar em fração de segundos. Empregos podem ter seu fim, amores começarem ou terminarem, amigos mudarem de cidade, nós nos mudarmos de casa, bairro, país, etc. A vida não tem a opção “sem aventura”. Só que para […]

Mergulhar para saber

Depois que a minha cachorra faleceu muitas pessoas questionam se eu quero outro cão. E a minha resposta sempre é não. E ai vem a próxima pergunta: ” – por que você não quer mais?” Eu digo que é muito sofrimento, e embora eu seja cachorreira não me vejo com outro cão por enquanto. A […]

Um lado do medo

A culpa é um lado do medo. Porque se formos notar temos medo daquilo que não sabemos conduzir. Que não elaboramos. Do obscuro. E a culpa é algo que não sabemos administrar. É como se fosse alguém dizendo a todo instante o quanto falhamos, o quanto não somos bons o bastante, menos importantes, mas sempre […]

O que podemos sentir

Às vezes, quando os acontecimentos vem em efeito dominó numa quantidade considerável, acaba tumultuando o nosso pensar, fazendo com que ele (o pensamento) também fique confuso e misturado. São compromissos profissionais, questões pessoais, imprevistos que mexem em nossa caixa preta (guardada a sete chaves) e nos fazem repensar na vida como um todo. Acontece que […]

Da dor ao amor

Eu sinto a dor. A minha e a de muitos. Sinto, às vezes, até dores alheias que não fazem parte do meu círculo de amizade, daqueles estranhos que por algum motivo despertaram a minha atenção. Mas eu também sinto o amor. De muitas pessoas. Confesso que tem dado mais trabalho ultimamente, não é que as […]