A vida começa quando…

Sempre ouvi a frase que a vida começa aos 40 e como ela estava distante da minha realidade eu deixava para lá. Até que ela se aproximou e eu fui pesquisar sobre a sua origem.

Encontrei num dos textos da Eliane Brum – jornalista, escritora e documentarista – a seguinte informação:

“…a vida começaria aos 40 porque as mulheres ainda estariam bonitas, já seriam donas de uma carreira consolidada e financeiramente estáveis, teriam passado por percalços suficientes para se sentirem mais confiantes e, então, sem as pressões e inseguranças dos 20 e até dos 30, estariam mais livres para inventar novos rumos para suas vidas – e novos rumos que estariam mais próximos de seus desejos.. ”

Ela continua o texto dizendo que esta explicação não faz mas sentido nos tempos atuais, porém fez muito sentido a mim. E resolvi compartilhar com vocês o que os 40 me trouxe.

Eu tinha muito medo desta mudança, principalmente quando estava pertinho de fazê-la. Que foi exatamente quando surgiu uma urgência em mim. Urgência de vida. De aproveitar todas as oportunidades que ela poderia me proporcionar. E ao mesmo tempo uma certa frustração do que eu queria que fosse e não foi.

A minha maturidade chegou por completo aos quarenta, muita coisa mudou dentro de mim.

Uma força de quem sou e do que vim fazer neste mundo transmutou pensamentos, conceitos e limitações que tinha sobre ser quem a gente veio ser. Me tornei mais flexível, moldável, compreensível livre em mim mesma.

Minha carreira amadureceu também. É fácil de perceber! Basta pegar os primeiros textos desta página e comparar com os últimos. Eu sinto claramente o quanto saltei. Além de me posicionar no mercado profissional como escritora, algo que sempre tinha receio por estar sempre me comparando com alguém que eu admiro.

Minha relação com o meu corpo também mudou. Carreguei pesos mentais duros e muito cruéis que não faziam sentido e levei tempo para entender isto. Hoje aceito quem sou.

Assumir quem sou tem a ver com aceitação: rosto, rugas, alguns fios brancos, mente e sombras. É acolher todo o conjunto e melhorar o que precisa ser melhorado, só que sem o apontamento e julgamento que estive inserida por muitos anos em minha vida.

Para mim a vida se renovou aos 40. Para você pode ser com 25, 50, 18, não importa o número, e sim a mudança.. Como se eu estivesse olhando todo o meu percurso e dizendo a mim mesma: você fez um excelente trabalho até aqui, agora se joga!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website